domingo, abril 13, 2008

4:48 Psicose

Sarah Kane nasceu em Essex, Inglaterra, no dia 3 de Fevereiro de 1971. Estudou teatro na Universidade de Bristol especializando-se em Artes na Universidade de Birmingham.
Sarah fez uso do pseudônimo Marie Kelvedon para escrever Crave (Falta) criando uma pequena biografia para o seu alter ego. Tal medida foi tomada como forma de fugir do furor dos críticos que haviam reagido de forma truculenta ao escreverem sobre Blasted, caracterizando-a como “repugnante e obscena”.A obra de Sarah Kane caracteriza-se pela profundidade psicológica dos personagens e pelas imagens agressivas e chocantes.
Porém, a depressão fez com que a dramaturga fosse internada por duas vezes em hospitais psiquiátricos. Nesse período extremamente conturbado ela escreve 4.48 Psychosis (Psicose 4:48), a sua última e mais radical peça. Numa narrativa densa, fragmentada, não-linear 4.48 evidencia uma mente conturbada, depressiva e esquizofrenia à beira da loucura. 4:48 seria a hora em que a maioria dos suicídios acontecem. Esse texto só é encenado após a sua morte no Royal Court Theatre em 23 de Junho de 2000 sob a direção de James MacDonalds (o mesmo que produziu Blasted e dirigiu Cleansed).A depressão faz com que Sarah Kane tente suicídio sem sucesso com pílulas para dormir, mas em 20 de fevereiro de 1999 a escritora inglesa enforca-se no quarto de banho do "London’s King’s College Hospital" aos 28 anos.Hoje, Sarah é considerada a maior dramaturga do final do século XX na Inglaterra.

"Ás vezes viro-me e cheiro o teu cheiro e não consigo continuar não consigo continuar foda-se sem exprimir esta merda física horrível merda dolorosa saudade que tenho de ti. Não posso acreditar que sinta isto por ti e tu não sintas nada. Não sentes nada?
Não sentes nada?

E saio ás seis da manhã e começo à procura de ti.
Se sonhei com uma rua ou um bar ou uma estação vou lá. E espero por ti.
Sabes, acho que estou a ser manipulada mesmo.

Na minha vida nunca tive problemas em dar às pessoas aquilo que elas queriam. Mas nunca ninguém fez isso por mim. Ninguém me toca, ninguém se próxima de mim. Mas agora tocaste-me não sei onde tão fundo foda-se não posso acreditar não posso ser isso para ti. Porque não te consigo encontrar.

Como é que ela é?
Como é que vou reconhecê-la quando a vir?
Ela vai morrer, ela vai morrer, ela só vai morrer foda-se.

Achas que é possível alguém nascer no corpo errado?
Achas que é possível alguém nascer na era errada?

Vai-te foder. Vai-te foder. Vai-te foder por me rejeitares, por nunca estares, vai-te foder por me fazeres sentir uma merda, vai-te foder por me fazeres sangrar amor e vida foda-se (…) mas mais do que tudo, vai-te foder Deus por me fazeres amar uma pessoa que não existe, VAI-TE FODER, VAI-TE FODER, VAI-TE FODER."

"4:48 Psicose" de Sarah Kane
As últimas notas sobre dor, angústia mental, caústicos relatos do uso terapêutico de drogas escritos por Sarah Kane, vão estar em cena no ESTÚDIO ZERO.
10 de Abril - 24 de Abril1 de Maio-18 de Maio
Terça a Domingo às 21h45
Rua do Heroísmo nº 86 (metro do Heroísmo)
Informações e reservas-22 5373265)
estudio0.blogspot.com

3 comentários:

Anónimo disse...

olá, vi o teu comentário no Insónia.
quanto à sarah kane, vi uma peça dela em lisboa há anos e vou repetir com as boas raparigas.

Rui Costa

AnaMartaFortuna disse...

Olá Rui :)
Deves mesmo repetir...está muito bem conseguido o trabalho e a actriz é fabulosa.
De salientar que no TECA também vai estar em cena o mesmo texto mas com encenação de carlos neira noya.
E o texto do daniel jonas "nenhures" tb no TECA, já foste ver? Aconselho vivamente.

Obrigada pela presença.

S. disse...

Agradeço as descobertas que por aqui vou trilhando...