terça-feira, agosto 29, 2006

negro

Eram cabos negros
searas de trigo
infinito de águas brancas
uma turbulência escondida
na calma aparente.
Eram anjos, pessoas, animais e vento! Muito vento!
Tanto e tão calmo.
Como se o tempo fosse o vento,
como se as palavras fossem água que se estendiam eternamente pelas searas de trigo.
Era gente, eram vozes baixas, passos vazios, ecos em surdina.
Era o tempo que era o vento que era a água. Era a água que era o meu ventre
e dele saiam todas as coisas do mundo numa estranha harmonia,
tão diferente do dia-a-dia.
Era a paz de um acordar de que nunca se acorda, o olhar de quem nunca deixou de ver.
Era o vento que era água. Era água que me corria nas veias e a minha paz eram rios feitos de mar, feitos de gente, feitos de pensamentos e todos os pensamentos eram o vento, que era o tempo que era a minha paz.
Era o meu sonho que sonhava…talvez a minha vida!
Era o tempo que era o vento!

dimensaooculta

5 comentários:

Mariana disse...

Belo início de dia. As tuas palavras inspiradas pintam hoje uma manhã diferente, para lá da rotina que nos vai amordançando. Por momentos senti o vento, a água,...a liberdade que se esconde todos os dias.

Obrigada;)

arcanjo miguel disse...

...que liberdade a tua, maior que...que grande é o teu momento...que grande tu és...que liberdade nos dás...tão boas as tuas palavras...que mundo bom esse...

pedro estorninho disse...

meu amor, meu amor, meu amor, terno amor, que grande poema

Anónimo disse...

A voces que me inspiram...um abraço apertado, cheio de saudades e amor!
A ti mariana que me fazes sonhar, que não me deixas só, que me fazes sentir o vento.
A ti arcanjo pelo conhecimento.
Á minha irmã que amo profundamente.
Ao meu Pedrocas e ao meu Boguinha, que apesar da distância não esqueco jamais e que também eles me inspiram pela sua generosidade.
A todos...Muito amor, paz e liberdade...porque todos são especiais, porque todos são estrelas brilhantes no meu dia.
Adoro-vos!!
dimensaooculta

parole disse...

Está realmente soberbo, lindo...
Também te amo muito, mesmo nos vendavais.