domingo, maio 14, 2006

Tenho 5 anos e o meu pai segura-me na mão para eu não cair. Diz baixinho, que eu vou ser muito feliz e que cedo vou saber ir para casa voando nos meus sonhos!Mente! Depressa percebo que a mentira é o casulo onde nos sentimos mais protegidos, depressa!Cresço depressa!Com pressa de chegar ao amanhã, com a pressa de ser alguém diferente. Não censuro! Não posso fazer. Amava nem que fosse pelos poemas, nem que fosse pelo chão sujo, ou pelo cheiro dos lençoís. Amava pelo silêncio saturado do banco de jardim durante a madrugada...Não por isso!Terias um grande dicionário de sonhos na entrada da porta e eu não precisava de me sentir observada, nem envolta numa nuvem suspeita de ambiguidades! O dia amanhã vai reagir como se nada tivesse acontecido porque eu assim deixo.

dimensaooculta

3 comentários:

arcanjo miguel disse...

...um lento poema, para ti...

que as tuas asas rompam a consciencia, porque já as tens...sem medo de voar...sem medo de parar... sem medo de continuar...

...

da. disse...

...e todos nos enganaram...e ainda bem acho, porque ser criança é esse engano de voar..e é justamente o ignorar disso mesmo...

Anónimo disse...

O engano surge do mesmo querer tornado ilegível...

dimensaooculta