quinta-feira, agosto 17, 2006

Guilhotinas

Ontem mais um ditador foi à vida.
Alfredo Stroessner, o antigo presidente paraguaio que esteve no poder de 1954 a 1989. Morreu aos 93 anos vítima de uma pneumonia no exílio em Brasília. Mais um refúgio dourado para um ditador sul-americano que esteve envolvido na Operação Condor e foi responsável pela repressão de muitas vozes.

Em jeito de desforra, ontem a minha voz soltou-se para dizer que os sentimentos amputam qualquer tipo de verbalização. É difícil falar de tudo aquilo que se cola nas nossas entranhas, que nos impele, mas que também nos castra.

Apesar das palavras contidas e dos gestos exacerbados tu és uma pessoa muito especial para mim. E, para todos o que o sabem (mesmo sem a questão da verbalização), amo-vos muito!


P.S. Fica desde já prometido que não volto a escrever mais posts pseudo-bio-lamechas-tipo-diário-de-pita-doente-da-cabeça-e-com-problemas-inter-relacionais. Pior, e isto não é uma simples ameaça, se alguma das MDM ousar escrever textos da treta como os últimos que cá estão corto-lhes a garganta...e ficam sem o rato. Agora só coisas dignas do Abrupto, Ponto Media, Industrias Culturais e tal....

E agora, depois destes pseudo-moralismos, para acabar em beleza....

Até sempre!!!!!!

3 comentários:

arcanjo miguel disse...

...como diria um bom alentejano, porra que isso é que é falar...bon retour, minha che...das pastilhas e champanhe...

Dulce disse...

O D, das MDM concorda:)! um grande beijo para as MM que são as maiores. Dulce

luuuu disse...

É difícil resistir a escrevê-los, uma pessoa pensa, faz-me mal escrever e pensar nestas merdas, mas depois se deixa, ah vou-me tornar superficial, vulgar.... quando afinal ser e pita-doente-da-cabeça-e-com-problemas-inter-relacionais é que já é vulgar, qual é a novidade? Por isso é que os psicólogos vão p o desemprego, os marados já se percebem tão bem, para quê tentar analisar a merda, vai tudo dar ao mesmo.
Mas pronto, sem ser em exagero dá um certo estilo... excepto o "até sempre!", ai credo, isso tem que ir, realmente! Até sinto um nó no peito quando o leio, urgh.
Então beiojoooooookas para as MDM!!!!