domingo, outubro 09, 2005

O crime compensa!

Das projecções que saltam do ecrã surge a conclusão lógica...o crime compensa!

Em mais um início de noite, no rescaldo de um dia de eleições, os votos da soberania popular explicam muito daquilo que somos enquanto povo...apáticos, desinteressados e atávicos, enfim felizes!

Aliás, a apatia faz-me recuar até à noite passada. Um apático com malas em frente ao Rivoli. E, nós, interessados...a dar-lhe boleia, a mostrar a invicta a um suposto designado Nelinho que, afinal, era Eusébio. A experiência permitiu, no limite, perceber que um gajo de malas nem sempre é interessante e pode ser, estranhamente, apático.

Apesar da desilusão com o nosso viajante, a noite tem essa magia. Desenrola-se por si só, ainda por cima, marcada pelo luar. Foi-se a ilusão de conhecer Frankfurt por palavras mas ficou, como sempre fica, a magia de uma noite entre os rostos que gostamos, pr entre os sítios que nos marcam e as pessoas que nos desafiam. Se bem que o desafio maior foi o de fazer entender ao Eusébio que Coimbra, às 5 da manhã, não era uma rota apetecível. Fiquemo-nos por Espinho...onde começa o mar e por onde passa o comboio.

Na despedida ficam, como quase sempre, as recordações, as histórias que nós, que nunca nos havemos de separar, vamos acumulando.

Dias de história, dias MDM...e se o crime compensa havemos de ser poder!

[pelos que, como eu, votaram em branco fica a consciência tranquila mas desinspirada]

1 comentário:

dimensaooculta disse...

Inspiramo-nos todos os dias...e desinspiramo-nos com a mesma rapidez.Seja um olhar, uma palavra, um acto, ou até mesmo uma palavra que não foi dita..apatia.
Penso agora no tudo o que não foi e no nada que nunca deveria ter sido...e na intransigência de quem não entende nenhuma forma de vida para além da própria...Viajantes como o nelinho..viajante apático, não são muito diferentes de homens viajantes, perdidos na sua tão própria forma de vida, tentando encontrar-se numa relação estável, esquecendo que o amor é tudo menos estável.
Homens que se assustam com a livre expressão sexual das mulheres...que não sabem que o acto de viver é uma forma de expressão que deve ser respeitada e não tida como forma de leviandade...que não sabem que um compromisso não implica não viver, não conhçer, não rir com desconhecido.
A experiência permitiu perceber que um gajo de malas nem sempre é interessante e não só...muito mais ficou a descoberto...que apenas o comboio passa em Espinho..
Dias de história MDM que são vividas ao acaso mas sempre com um propósito...sempre inusitado..
Ficam as lembranças de quem vive sem freios e sem falsas convincções sobre os outros...
Amor é isto mesmo...Amar é isto mesmo...sabendo que amanhã já nada será o mesmo, sem um porto seguro, com suores frios e borboletas na barriga. Horas sem sono e minutos com pressa...
Dias MDM!!E se o crime compensa arranjem mulheres que fiquem em casa a coser meias porque eu vou ver o mar...